A química do chocolate

Associado à paixão, ao bem estar e, para alguns exagerados, ao vício, o chocolate é um alimento extremamente antigo, sendo que já foi idolatrado por certos povos, como os astecas.


Sua ligação com a paixão e com o bem estar existe, pois ao ingerir chocolate, uma série de substâncias que esse alimento contém, como a feniletilamina e o triptofano são introduzidas no organismo. Além disso, há liberação de endorfina, que é um opióide produzido pelo próprio organismo.



Uma das substâncias em questão, o triptofano, é um precursor da serotonina. Esse aminoácido tem uma variação constante a nível plasmático, dependendo da ingestão de alimentos e do momento do dia. O triptofano é captado pelos neurônios, e já é convertido em 5-hidroxitriptofano pela triptofano hidroxilase. Logo após ele é descarboxilado por uma aminoácido descarboxilase transformando-se em 5 hidroxitriptamina, ou 5-HT, mais conhecida como serotonina. A serotonina pode estar ligada ao aumento de apetite e à obesidade. Isso foi comprovado em animais de laboratório onde agonistas dos receptores de 5-HT1A, como 8-OH-DPAT, e antagonistas que atuam nos receptores de 5-HT2, aumentaram o apetite, e em alguns casos observou-se o desenvolvimento da obesidade. Além disso, há estudos que compravam a ligação da serotonina com o humor. Isso se dá, pois há uma ampla distribuição desse neurotransmissor no sistema límbico. Experimentos já foram realizados, onde o triptofano foi usado no tratamento de depressão com o objetivo de aumentar a síntese de 5-HT.


Além dos efeitos que a serotonina pode desencadear, a ingestão de chocolate aumenta os níveis de endorfina no cérebro. A endorfina é relacionada ao bom humor, sensação de bem-estar e euforia e também a um efeito analgésico. Ela pertence a classe dos opiódes, e estes, em geral, tem relação de seus receptores com a proteína G inibindo a adenilato ciclase, reduzindo dessa forma a quantidade intracelular de cAMP. Além disso, a proteína G pode estar associada à canais iônicos, e por influência dessas substâncias os canais de potássio são abertos e a abertura desses canais inibe a abertura dos canais de cálcio.Esses efeitos na membrana reduzem a excitabilidade neuronal e a liberação de neurotransmissor. Isso gera como efeito global, uma inibição ao nível celular.

Com todos esses efeitos, os ditos chocólatras podem tentar justificar o seu vicío. Porém os poucos estudos nessa área, revelam que ainda não há um consenso se o chocolate pode realmente viciar, pois é evidente que há uma alteração química no corpo, mas não necessariamente essa alteração pode causar algum tipo de dependência.

Postado por: Fábio Reis

6 comentários:

Caroline disse...

oii sou clara e vou fazer um trabalho sobra a quimica do chocolate gostei da sua expliçao mas tem algumas palavras q eu nunca ouvi fala !!!
vou começar a visitar mais seu blog ...

Jean Mrcos disse...

Olá! meu nome é jean e eu também vou fazer uma feira sobre chocolate, realmente muito interessante esse blog, vou visitar sempre!
abraçoos :D

Fisioterapeuta Jéferson Marchesini disse...

Parabéns!
Gostei muito dessa explicação!
Se puder visitar meu blog.
http://aendorfina.blogspot.com/

Fisioterapeuta Jéferson Marchesini disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Arte Final by Hellen Brito disse...

ola, eu queria saber mais especifico sobre a química no sentido de composição, ex no chocolate tem valina ou alinas, ácidos???
Aguardo contato no www.afbhb.blogspot.com

Hellen Brito

Rivaldo Vital disse...

Dúvida,

O má funcionamento dos neurotransmissores provoca ansiedade, pânico?

 


Templates Novo Blogger 2008